quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Quase auto ajuda

Refletindo sobre diversos aspectos de minha vida, principalmente os emocionais, descobri que ter sorte no amor requer grandes atitudes. A vida é feita de atitudes e no amor não é diferente. Então, após concluir isso, eu me pergunto: Até que ponto tenho que ter coragem e tomar a atitude certa? Pois é, ai que entra o grande vilão da história, o medo. Medo de levar um fora, medo de perder a “amizade”, medo de ser rejeitado, medo de falar besteira... Medo, ou simplesmente falta de coragem.

.

Tomar a atitude eficiente é difícil. Ir até o final dela, mais ainda. Afinal, um fora de imediato pode acontecer, mas então, como saber se aquele fora foi apenas uma prévia para um futuro “sim”? Como saber se a segunda tentativa de beijo vai ser bem sucedida? Como saber se são a hora e o momento certos?

.

Aprendi que não existem regras, apenas perguntas. A única maneira de respondê-las é ir atrás das questões, é tomar a atitude sem medo e ver o que acontece. Melhor trezentas respostas tristes e negativas do que milhões de perguntas sem respostas, apenas torturando nosso imaginário com devaneios de amor.

.

O melhor disso tudo é: Basta uma resposta positiva. ;)

.

Ps: Isso é o que se pode chamar de momento melancólico! Rs...

2 comentários:

Helena disse...

Saber sempre é a melhor opção, por mais dura que seja a verdade ou mesmo que a decepção seja inevitável.
Arrisque. Você poderá se surpreender...

Renan Barbosa disse...

Yeahhh... Como dizia Shakespeare:

"Nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o que, com freqüência, poderíamos ganhar, por simples medo de arriscar."

Obrigado por comentar e por me seguir Helena xD

Bjuss!!!